6 Mitos e Verdades sobre cirurgia plástica no inverno - Por Deivis Albers


Publicado em 09/07/2019

As mudanças climáticas influenciam diretamente na saúde e no bem estar das pessoas. Na recuperação de uma cirurgia plástica não é diferente, temperaturas mais agradáveis contribuem para o aumento na procura por pacientes que desejam fazer algum procedimento estético. De acordo com o cirurgião plástico Deivis Albers, o recorde de busca por clínicas e hospitais especializados acontece entre os meses de junho a setembro, meses de inverno no sul do país.

Mas existem algumas questões relacionadas a esse aumento na procura em épocas de baixa temperatura. Dr. Deivis Albers revela 6 mitos e verdades sobre cirurgia plástica no inverno:

1 - No inverno as pessoas engordam mais - MITO!
Um mito que se perpetuou entre as pessoas é que no inverno acabamos comendo mais e engordando, mas não é o que ocorre, pois não existe uma estação que engorde mais do que outra. No entanto, se não houver uma atenção especial para os alimentos que são ingeridos, naturalmente o percentual de gordura irá aumentar, mas isso independe do clima. No inverno é natural as pessoas terem indisposição a atividades físicas e o tipo de alimentação para os dias frios geralmente vêm ricas em calorias e regada a bebidas e esses fatores podem contribuir para o aumento de peso dos indivíduos.

2 - Cirurgia no inverno causa menos inchaço do que no verão - VERDADE!
Um ponto que favorece a realização de cirurgias plásticas no inverno é o calor intenso nas estações quentes. No verão, algumas pessoas retêm mais líquidos e em consequência, acabam desenvolvendo um inchaço natural do corpo. Com isto, a combinação calor e cirurgia plástica pode levar a um edema mais acentuado, comum no pós-operatório de qualquer cirurgia, mas que pode causar incômodo para o paciente. Esse processo decorre da vasodilatação natural que ocorre nos dias mais quentes.

3 - No inverno, é necessário o uso contínuo de malhas cirúrgicas - VERDADE!
O tempo frio ainda torna o uso de malhas cirúrgicas mais tolerável. Elas são necessárias após alguns procedimentos, como lipoaspiração ou abdominoplastia. Além de esquentarem o corpo do paciente, o que seria desconfortável em meses de calor, as malhas são facilmente escondidas por roupas mais largas durante o inverno. No entanto, por conta da climatização nos ambientes, por meio do ar condicionado ou equipamentos de calefação, o modelador fica muito mais confortável seja no inverno ou verão. 

4 - No inverno não é necessário se preocupar com hematomas da pele - MITO!
Outro Mito é que no inverno, devido ao clima mais nublado e até chuvoso em alguns períodos, não é necessário cuidados com os chamados “roxos” do pós-operatório. É um grande erro, pois ainda há a presença de radiação UVA o ano todo, mesmo que invisíveis a olho nu e a exposição desses hematomas sem proteção contra essa radiação pode ocasionar manchas indesejáveis na pele. Portanto, deve-se fazer uso de filtros solares e demais proteções, mesmo em dias sem a presença visível do sol. 

5 - Cirurgias na face durante o verão pode provocar manchas e cicatrizes escurecidas na pele - VERDADE!
Durante o outono e o inverno há uma menor intensidade de radiação solar e as temperaturas são mais baixas, ideal para realizar procedimentos em áreas expostas como a face (rejuvenecimento, lifting, pálpebras e nariz). A exposição solar precoce pode provocar manchas na pele e cicatrizes escurecidas.

6 - Exposição a altas temperaturas, mesmo no inverno, prejudicam a pele - VERDADE!
Um importante cuidado a ser tomado é com o abuso dos banhos quentes no inverno. É preciso ter atenção, pois a pele tende a sofrer com a mudança de temperatura brusca como exposição a lareiras, ambientes aquecidos e banhos quentes. A pele resseca mais e pode sofrer com os eczemas xeróticos (inflamações na pele com manchas avermelhadas), prurido (coceira) e ainda pode apresentar um aspecto opaco, ficar desidratada, áspera e com acentuação de linhas de expressão.

Para auxiliar na conservação e melhor cuidado com a pele em épocas mais frias, dr. Deivis Albers indica a utilização de bons hidratantes imediatamente após o banho, bem como utilizar sabonetes apropriados para cada tipo de pele, além do uso de protetores solares com hidratantes para os lábios e áreas da pele expostas à radiação UVA e UVB. O cirurgião ainda alerta para evitar banhos muito quentes e com tempo superior a 10 minutos, evitar imersão prolongada em banheiras e evitar o uso de esponjas para higiene da pele.

Os períodos mais frios são excelentes para a realização de cirurgias plásticas que exijam maiores cuidados pós operatórios. Além do clima, os pacientes que fazem procedimentos nesta época podem aproveitar as férias de inverno para se recuperarem e seguir as orientações para o período pós-operatório, fundamental para o sucesso do procedimento. Com as férias, as pacientes contam com o tempo necessário para repouso e demais cuidados, como fisioterapia pós-operatório, drenagem linfática e revisões médicas.

Dr. Deivis Albers ainda ressalta que a principal vantagem de fazer cirurgia plástica em épocas frias de estações como outono e inverno é a possibilidade de se preparar para o Verão. “As mulheres, em grande parte, aliam todas as vantagens já citadas à preocupação de chegar ‘com tudo em cima’ na hora de vestir um biquíni e se expor na praia, por exemplo”, destaca. No inverno ou no verão, para minimizar os riscos de uma cirurgia mal-sucedida, o cirurgião sugere que a pessoa opte por um profissional com título de especialista e seja membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica

DeivisAlbers